Natureza, cooperação e consenso

Forum Diálogo com a Natureza

Tive o privilégio de participar do Forum: “Diálogo com a Natureza com o subtítulo: “Cooperação – Criar Mundos Circulares” da organização :”Natur-Dialog-Bewegung” (https://natur-dialog.org/) e vou abrir uma exceção na sequencia normal de postagem sobre “Criatividade e desenvolvimento pessoal” porque acho importante comentar alguns tópicos  do Forum.

Natureza, cooperação e consenso

 

Escrevo aqui sobre minhas reflexões próprias e minha própria interpretação dessa vivência. Não estou reproduzindo o conteúdo apresentado, senão a maneira como esses impulsos encontraram ressonância dentro da minha perspectiva.

 

Eu poderia quase escrever um livro sobre o que pude vivenciar, aprender e refletir nesse Forum, mas vou me ater aqui a apenas dois conceitos que considero bem importantes.

Autonomia

 

O primeiro deles diz respeito a um repensar sobre autonomia. Resumidamente, porque o assunto é extenso, se partirmos do princípio de que estamos em constante troca com outras pessoas, com o ambiente, com a natureza, enfim, estamos dando e recebendo constantemente inclusive em níveis que nem sequer temos consciência, o princípio de autonomia como interpretamos seria algo um tanto quanto equivocado.

Por isso talvez fosse interessante repensar autonomia, como uma maneira de sair de dependências, mas não de colaborações. Assim, almejar por exemplo uma autonomia emocional seria na verdade almejar um equilíbrio emocional. Sair de dependências, mas tendo a consciência plena de que estaremos invariavelmente interagindo com outras pessoas o tempo todo.

Mesmo se nos isolamos ou nos afastamos de outras pessoas, estaremos invariavelmente interagindo pela ausência. E assim se opera em outras áreas também, e além de pessoas ou em vez de pessoas vários outros elementos estarão participando dessa troca constante não importando o setor. Quando lidamos com Cooperação estamos muito próximos de nossa condição natural humana, porque dessa dinâmica de trocas constantes não podemos escapar. Atentar para essa proposta de olhar a autonomia com outros olhos, no contexto de cooperação, pode fazer mais fáceis e suaves nossos caminhos de convivência.

Consenso

 

O Segundo tópico diz respeito a consenso. Uma maneira diferenciada de ver o consenso. A palavra Consenso é definida como o acordo produzido por consentimento entre todos os membros de um grupo e/ou de vários grupos. Ou seja, discutir tanto tempo quanto for necessário para que todos estejam de acordo.

O novo olhar que ganhei no Forum, foi o de associar uma especial atenção sensibilizada a qualquer elemento que esteja envolto nesse processo. Não apenas palavras e argumentos. Porque quando ouvimos apenas as palavras um orador bem preparado saberá argumentar para que sua visão seja assumida pelo grupo. O que não quer dizer que essa visão é realmente a melhor para o grupo.

Existe uma espécie de intuição que deriva do grupo todo como grupo e de alguma maneira oferece o melhor caminho para este. Atentar para qualquer expressão de qualquer elemento disponível e não somente na comunicação verbal, vai fazer muita diferença.

Atentar para quem se cala, para quem apenas resmunga baixinho, para o riso de uma criança que passa pelo lugar, para as flores em cima da mesa, para os quadros ao redor, para o som que acompanha tudo.  Tudo deve ser visto como uma contribuição para a busca pelo consenso. Porque um impulso, por exemplo olfativo vai trazer uma lembrança para alguém cujo conteúdo traga novas perspectivas para a questão.

Porque uma música talvez traga mais tranquilidade para o grupo, ou um prato quebrado nos avisa eventualmente sobre um estado de ansiedade, ou seja lá o que for. Tudo deve ser notado e integrado enriquecendo enormemente o processo de busca.

Inclusive quando todos concordam com uma determinada proposta e na hora da execução um único membro muda de opinião: se o grupo não se opor a essa mudança repentina, então ela estará correta.

Pré-requisitos

 

Os pré-requisitos para que um consenso seja alcançado desta forma são: nenhum membro é mais ou menos importante que o outro, consciência social para deixar o processo correr o tempo necessário e da maneira necessária, atenção, sensibilidade e uma verdadeira vontade de encontrar um bom caminho para todos.

Interessante não acham?

Os palestrantes do Forum são profissionais com formação clássica em diversas  áreas como  pedagogia, antropologia, terapia e psicologia sistêmica que há mais de décadas trabalham com e na Natureza e possuem  uma farta experiência vivenciada, que permite um desenvolvimento aprimorado dos assuntos promovendo novas perspectivas e novos métodos de abordar esses diversos temas tendo a natureza como o centro de interesse e motivação.

Gostei imensamente dos impulsos e do aprendizado.

Gratidão.

Did you like this? Share it!